Roubos em Pernambuco têm menor incidência desde dezembro de 2015.

Com um total 7.742 ocorrências de Crimes Violentos contra o Patrimônio, julho de 2018 teve as estatísticas mais baixas em um período de 31 meses e foi ainda o 11º seguido de queda em relação ao ano anterior. Todas as regiões do Estado apresentam declínio.

Os casos de roubos continuam a cair em todo o Estado, completando uma sequência de 11 meses com números inferiores em relação ao ano anterior. No mês de julho, a segurança pública registrou um total de 7.742 casos de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) em Pernambuco, o que representa uma redução de 28,36% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram notificadas 10.807 ocorrências do tipo, ou seja, 3.065 assaltos deixaram de acontecer. Além de ser o período com o menor registro de CVP em 2018, o mês passado só perdeu, em números absolutos, para dezembro de 2015, quando se registraram 7.469 ocorrências.

Com essa redução, os dados acumulados de CVP entre os meses de janeiro a julho de 2018 também apresentam redução quando comparados ao mesmo período de 2017. No total, são 57.864 ocorrências registradas neste ano, contra 74.642 casos entre janeiro e julho do ano passado, o que representa retração de 22,48% no número de registros. Ao todo, computaram-se 16.778 casos a menos de roubos em 2018, queda que foi verificada em todas as regiões do Estado, principalmente no Recife e Região Metropolitana – ambos com 24% de queda no número de CVPs entre janeiro e julho. No Recife, computaram-se 19.627 ocorrências nos primeiros sete meses deste ano, contra 25.781 no ano passado (-24%).  Em julho de 2018, a queda na capital foi de 31% (2.624 ocorrências no mês passado, contra 3.806 no ano anterior).

“A capital vem tendo redução acentuada em diversas áreas. A Área Integrada de Segurança 2 (composta de 21 bairros, entre eles Graças, Aflitos, Espinheiro, Rosarinho, Derby, Campo Grande, Torre e Madalena) apresentou o menor número de assaltos em 43 meses. As 422 ocorrências do mês nessas localidades só ficaram acima das verificadas em dezembro de 2014. A AIS 4 (24 bairros, entre eles Ilha do Retiro, Afogados, Canxangá, CDU, Várzea, Bongi,  Enganho do Meio) registrou o menor quantitativo de CVPs em uma série de 41 meses, perdendo apenas para fevereiro de 2015. Isso é resultado de planejamento focado na prevenção, aumento de policiamento e inteligência. Como exemplo,  citamos a operação Agamenon Magalhães, que traz uma redução de 50,5% nos assaltos no entorno da maior artéria da capital na comparação dos primeiros sete meses de 2018 com 2017. Não comemoramos, porque buscamos avançar mais na prevenção da violência”, avalia o secretário Antônio de Pádua.    

*REGIÕES* - Nos sete primeiros meses de 2018, a queda no número de roubos nos municípios do Agreste chegou a 21%: 10.503 casos, neste ano, contra 13.365, no mesmo período de 2017. A AIS 14, composta por 15 municípios da região e com sede em Caruaru, teve o julho com menos CVPs em uma série 37 meses. Foram 631 roubos nessa área, acima apenas de junho de 2015.

Já na Zona da Mata, cuja redução foi de 20%, a soma de ocorrências entre janeiro e julho de 2018 chegou a 7.301, contra 9.103 no mesmo período do ano passado. Por fim, o Sertão somou 3.400 CVPs este ano, contra 3.948 em 2017, o que representa uma queda de 14%. A AIS -26 (Petrolina, Afrânio e Dormentes) registrou 184 roubos em julho, o menor patamar em 28 meses (ficou acima apenas de março de 2016). Com retração de 24%, a RMR registrou 17.033 crimes patrimoniais nos sete primeiros meses do ano, contra 22.445 no mesmo período de 2017.

Comparando apenas julho de cada ano, a redução foi ainda maior, liderada pelos municípios do Agreste (-35%). Ao todo, as polícias receberam 1.312 queixas de roubos no mês passado, contra 2.034 registradas em julho de 2017. Já na RMR (exceto capital), a queda alcançou 28% (2.318 em 2018 e 3.232 em 2017), enquanto os dados do Sertão decresceram 22% (de 559 para 438). Na Zona da Mata, que teve um total de 1.050 casos registrados neste ano, contra 1.176 notificados no ano passado, a queda foi de 11%.

*PRISÕES E APREENSÕES* – Ao mesmo tempo em que os números dos mais diversos tipos de crimes caem em todo o Estado, o trabalho reforçado das policias Civil, Militar e Científica vem resultando em mais prisões e apreensões. Só no mês de julho, 2.885 pessoas acabaram presas em flagrante delito. Em todo ano, já são 18.602 prisões em flagrante. Além disso, no mês passado, as forças de segurança pública do estado apreenderam 501 armas, alavancando para 3.698 o número total de apreensões este ano. Em todo o ano de 2018, as polícias atuaram em 3.137 ocorrências de tráfico de drogas, sendo que julho foi o mês de maior produtividade, com 514 operações – superando junho (481). 

*MENOS ASSALTOS A ÔNIBUS* – Os casos de assalto em transporte coletivo mantiveram a tendência de queda em 2018. Em julho, as polícias totalizaram 89 registros, o que representa diminuição de 34% em relação ao mês correspondente em 2017 (julho do ano passado teve 135 investidas a coletivos). No acumulado do ano, a redução já chega a 46%: entre os meses de janeiro a julho de 2018, houve 528 roubos a ônibus, enquanto em 2017, no mesmo período, foram 979. Uma das estratégias exitosas no combate a essa modalidade de CVP é a Força-Tarefa Coletivos, cujas ações coordenadas já resultaram na prisão de 161 assaltantes de ônibus este ano, sendo 22 somente no mês passado.

*AUMENTO DE CELULARES RECUPERADOS* – Ao contribuir para a redução dos roubos de celulares em Pernambuco, o programa Alerta Celular tem alavancado, igualmente, a recuperação de celulares roubados ou furtados no Estado. Entre janeiro e julho de 2018, as polícias apreenderam 3.575 aparelhos, 501% a mais do que no mesmo período de 2017. Só em julho deste ano, foi possível reaver 485 telefones. Quanto às estatísticas de roubo de celular, esse tipo de crime manteve a sequência de declínio em julho de 2018, somando 3.104 ocorrências, -31,9% na comparação com julho de 2017 (4.558 registrados).

No acumulado do ano, a queda de roubos de celulares já chega a 26,6%. O total de aparelhos subtraídos de seus donos entre janeiro e julho deste ano foi de 22.209, isto é, 8.065 roubos a menos que no mesmo período de 2017, quando houve 30.274 ocorrências.

*ROUBO DE VEÍCULOS E CARGAS* – Assim como os demais Crimes Violentos contra o Patrimônio, os roubos de veículos e cargas permaneceram em retração no mês de julho. O quantitativo de queixas por roubo de veículos, por exemplo, teve uma redução de 21% em relação a julho do ano passado, que teve 1.651 casos. No último mês, foram 1.301. Já no período de janeiro a julho de 2018, houve 9.742 roubos, contra 12.137 em 2017, ou seja, uma redução de 19%.

No que diz respeito às cargas roubadas, a frequência de roubos diminuiu 18% nos primeiros sete meses deste ano (433 para 357). Especificamente em julho, a baixa foi de 25% (63 para 47).

CRIMES CONTRA BANCOS – As investidas consumadas contra agências bancárias, carros-fortes e caixas eletrônicos somaram, no período de janeiro a julho de 2018, 46 ocorrências, 25% a menos em relação ao mesmo período do ano passado, quando se registrou 61 casos.  “Em 2018, a Força Tarefa Bancos prendeu 27 assaltantes de bancos em Pernambuco e há diversas investigações em curso para a desarticulação de outras quadrilhas especializadas nessa modalidade de crime. Destacamos, em julho, a operação que resultou na prisão de um suspeito de assaltar agências bancárias em São Bento do Una e morte de outros dois em confronto com nossas forças de segurança”, disse o secretário.

Marcadores:
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget