Assassino de criança em Taquaritinga do Norte é condenado a mais de 50 anos de prisão.

  O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) obteve, no julgamento ocorrido na quinta-feira (7), em Taquaritinga do Norte, a condenação de José Antônio dos Santos Irmão, de 52 anos. Após julgamento pelo plenário do Tribunal do Júri daquela comarca, o Juiz de Direito Leonardo Batista Peixoto fixou a pena em 57 anos e 09 meses de reclusão pelo homicídio doloso da menina Asheley Yasmim Ferreira Silva, de três anos de idade, e tentativa de homicídio qualificado de Maria do Carmo Ferreira Alves e José Gomes Ferreira Neto.

Os crimes aconteceram em 26 de junho de 2016 e chocaram o município pela brutalidade do agressor. O promotor de Justiça Hugo Eugênio Ferreira Gouveia sustentou em plenário que o réu cometeu os crimes por motivo fútil, torpe e mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas. Acrescentou, ainda, que o acusado se portava como "dono" de sua companheira/vítima Maria do Carmo e em razão de ciúmes, após negativa de um beijo, desferiu golpes de faca peixeira no pescoço e braço direito da sua companheira. Não satisfeito, também atacou o pai de Maria do Carmo, José Gomes Ferreira Neto, de 80 anos de idade, o ferindo no pescoço.

Como os dois adultos conseguiram correr e escapar, José Antônio matou Asheley, neta da sua companheira, que dormia em um dos quartos da casa, usando a mesma faca e a golpeando no pescoço. José Antônio fugiu do local no carro de Maria do Carmo, abandonando o veículo na estrada que leva ao Sítio São Paulo de Sinésio, em Taquaritinga do Norte.

Vizinhos socorreram as vítimas, mas a criança não resistiu aos ferimentos. Em relação à morte de Asheley, a sentença condenatória dispôs que José Antônio “agiu com culpabilidade exorbitante, pois a intensidade do dolo do agente foi alto no sentido de ceifar a vida da criança, atingindo-a em região extremamente vital - seu pescoço -, com o que, pela idade e gravidade da investida, o acusado atuou de forma a matar a menor de maneira bastante eficaz”.


 Também consta na sentença condenatória que “há elementos denotativos de que o réu detém personalidade voltada à prática criminosa, porquanto, embora responda a processo por outro delito de homicídio na cidade de Caruaru, ainda sem trânsito em julgado, consta que ele confessou a sua prática, o que, somado ao fato de uma das vítimas haver revelado que se trata de pessoa agressiva e intolerante a contrariedades, mostra que sua pessoa e inclinada ao cometimento de crimes”.

 José Antônio já se encontrava preso preventivamente desde o dia 2 julho de 2016, em Santa Cruz do Capibaribe. Ele vai cumprir a pena no Presídio Juiz Plácido de Souza, em Caruaru.
Marcadores:
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget