Procurador-geral de Justiça participa de lançamento de projeto ressocialização de adolescentes em Cupira.

  O procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, esteve no município de Cupira, no Agreste do Estado, na manhã desta segunda-feira (26), para o lançamento do Projeto Cuidar, patrocinado pela Prefeitura Municipal e que tem o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) como colaborador. Idealizadora do plano de acompanhamento medida socioeducativa em meio aberto que é a espinha dorsal do programa, a promotora de Justiça Soraya Dutra também marcou presença, ao lado do prefeito José Maria Leite de Macedo e de outras autoridades municipais e da região.

 No ano passado, a promotora Soraya Dutra, que foi nomeada com mais 20 colegas em setembro, instaurou procedimento administrativo para averiguar quais as razões de adolescentes, após cumprirem medida socioeducativa em Caruaru, não terem acompanhamento por parte dos gestores municipais, como determina a legislação. A promotora idealizou uma logística de atendimento, que está sendo implementada pela Prefeitura de Cupira.

 “Os adolescentes terão um acompanhamento que durará até seis meses. Como Ministério Público, não podemos fingir que a medida socioeducativa está sendo cumprida. Cheguei aqui e constatei que Cupira era o segundo município mais violento do Estado, com crimes graves e envolvendo menores em situação de conflito”, disse a promotora, em discurso diante de um auditório lotado, no Centro de Vocação Tecnológica Miguel Arraes de Alencar. Nos dois primeiros meses de acompanhamento, os adolescentes serão direcionados a atividades como horta, pintura e capinagem.


 Nos dois meses seguintes, serão alvo de atividades de humanização, como auxílio nos atendimentos em Centros de Atenção Psicossociais e unidades de saúde. Nos dois meses finais, terão aulas em cursos de acordo com suas aptidões vocacionais e com a oferta econômica na região. Dança, música, teatro, esportes e cursos profissionalizantes.

 O procurador-geral de Justiça elogiou a postura da promotora. “Nós precisamos sair dos gabinetes, do ar-condicionado. A Procuradoria Geral de Justiça apoia esse tipo de atuação em rede. A sociedade precisa se recusar a aceitar a violência e agir”, afirmou. Francisco Dirceu Barros lembrou que recebeu em seu gabinete o prefeito de Cupira, em março do ano passado. “Nós sabíamos que Cupira era uma cidade com necessidades e nos comprometemos a nomear um promotor para cá. Assim o fizemos e estamos contribuindo para a diminuição desses índices”, salientou. No ano passado, 43 pessoas foram assassinadas em Cupira. Em 2012 tinham sido 12.

 Segundo os dados oficiais, entre janeiro e fevereiro deste ano ocorreram na cidade dois homicídios – no mesmo período de 2017 foram 10. Com a visita a Cupira, o procurador-geral inicia um giro pelas promotorias de todo o Estado, dentro do programa Gabinete Itinerante. O calendário das visitas será divulgado em breve.

“Vamos conhecer os problemas das promotorias in loco. Isso é importante porque a nossa presença reforça a a capacidade que o Ministério Público tem de representar a sociedade e defendê-la”, finalizou.
Marcadores:
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget