Articulação entre o MPPE e órgãos públicos leva à criação do plano de segurança pública no Ipojuca.

  O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recebeu do município do Ipojuca uma cópia do projeto Ipojuca Segura, resultado de várias reuniões entre os órgãos para propor iniciativas voltadas à redução da violência na cidade. Com a implantação do projeto, a expectativa é de que o MPPE, a administração municipal e as polícias Civil e Militar se unam para garantir segurança para os cerca de 91 mil ipojucanos.

A elaboração do projeto já contemplou algumas solicitações do Ministério Público, como o levantamento das áreas com maiores índices de crimes violentos letais intencionais (CVLIs). Dessa maneira, o 18º Batalhão de Polícia Militar vai dedicar atenção especial a 15 pontos críticos e manter o monitoramento para atualizar as informações. Além da redução progressiva e constante dos índices de criminalidade no Ipojuca, com ênfase nesses pontos críticos, estão previstas medidas como o registro, controle e tratamento estatístico de todos os CVLIs ocorridos no território de Ipojuca; aproximação dos guardas municipais da comunidade; e adoção de medidas sociais, como o cadastramento pela das pessoas que residem nas comunidades mais afetadas pela violência, para que possam receber apoio de programas de assistência social, formação educacional, práticas culturais e esportivas.

 Para o promotor de Justiça Rinaldo Jorge, a realização das ações coordenadas entre os diversos entes públicos é a melhor forma de promover uma redução na violência. Segundo ele, desde a primeira reunião, realizada em dezembro de 2017, já foi possível constatar uma diminuição no número de mortes violentas. “A operacionalização desta filosofia permite um policiamento personalizado, que amplia o papel das forças de segurança, pois produz um maior impacto na realização de transformações que venham ao encontro das expectativas de tornar as comunidades mais seguras, para que a população possa viver com tranquilidade.

A criação de ações específicas voltadas para oferecer a crianças, adolescentes e jovens atividades culturais, artísticas, desportivas, educacionais, de formação técnico-profissional e de sustentabilidade evita que essas pessoas sejam cooptadas pelo tráfico”, detalhou Rinaldo Jorge. Ainda segundo o projeto, o MPPE tem papel indispensável na ação, com a finalidade de acompanhar sua implantação, cobrar resultados, sugerir melhorias, captar apoios e requisitar serviços e ações, com a fiscalização e aprimoramento das ações a serem discutidas no Conselho Municipal de Defesa Social, Segurança e Paz (Condepaz). Também ficou acertada, na reunião, a retomada da adesão do Ipojuca ao projeto Pacto dos Municípios pela Segurança Pública, do MPPE.
Marcadores:
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget