Toritama: MPPE recomenda à SDS e Polícia Civil resolver problemas estruturais na sede da Delegacia em até 60 dias.

   Após receber representação do Sindicato dos Policiais Civis informando sobre graves irregularidades estruturais no imóvel em que funciona a Delegacia de Toritama, no Agreste do Estado, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou à Secretaria de Defesa Social e à Polícia Civil de Pernambuco que adotem as providências necessárias para sanar os problemas no prazo máximo de 60 dias.

 De acordo com a promotora de Justiça Danielle de Carvalho Clementino, a recomendação já foi recebida e a Polícia está procurando uma nova sede para a Delegacia de Toritama. “A representação encaminhada pelo sindicato descrevia uma situação inadequada, que se refletia em dificuldades para os policiais civis exercerem seu trabalho e em prejuízo para o atendimento à população”, detalhou. O principal motivo de preocupação é a existência de vazamentos e rachaduras no primeiro andar do imóvel, cuja interdição chegou a ser solicitada pelo sindicato ao Setor de Engenharia da Polícia Civil, devido ao risco de desabamento.

Também foram constatadas infiltrações, instalações velhas e improvisadas; acúmulo de itens apreendidos, como motocicletas, em local inadequado, inviabilizando a movimentação dos policiais; alojamento dos agentes em área não reservada; e falta de alojamento feminino. “O direito à segurança é prerrogativa constitucional indisponível, garantido mediante a implementação de políticas públicas, o que impõe ao Estado obrigação de criar condições objetivas que possibilitem o acesso a tal serviço”, argumentou a promotora de Justiça, no texto da recomendação. O secretário Antônio de Pádua salientou o caráter de parceria estabelecido entre as instituições que compõem o sistema de segurança pública no Estado e a sociedade civil.

“Muitos pensam que a redução dos índices de violência se dá apenas pelo enfrentamento, mas há muito mais a ser feito. Os municípios podem ajudar e muito”, destacou Pádua –que já foi servidor do MPPE–, ao citar o Pacto dos Municípios pela Segurança Pública, projeto institucional do MPPE que congrega 70 cidades pernambucanas. Pádua explicou aos novos promotores o funcionamento do Pacto Pela Vida, assim como os demais representantes da SDS detalharam o modus operandi de suas instituições. O chefe de gabinete Paulo Augusto Oliveira considerou de extrema importância a troca de informações e a presença da cúpula da segurança no curso de formação dos novos membros.
Marcadores:
Reações:

Postar um comentário

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget